Dicas de Saúde

     Programas
Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
Programa de Proteção Respiratória Programa de Conservação Auditiva
Perfil Profissiográfico Previdenciário Sistema de Gestão em Segurança e Medicina do Trabalho
     Laudos
Laudo Ergonômico Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho
     Programa - PCA
Vitória - ES -
O que é o PCA?

Conservação auditiva implica na prevenção da audição do indivíduo, sendo ele portador ou não da perda auditiva. Este programa tem como objetivo prevenir ou estabilizar as perdas auditivas ocupacionais em decorrência de um processo contínuo e dinâmico de implantação de rotina nas empresas.

Principais objetivos do controle audiométrico dentro do programa de conservação auditiva (PCA):

a) Prevenir a perda auditiva neuro-sensorial devida à exposição ao ruído ocupacional;
b) Minimizar a possibilidade de reclamações legais por perda auditiva;
c) Identificar os trabalhadores com problemas auditivos não relacionados com o trabalho, encaminhando-os para o tratamento adequado;
d) Reduzir a perda auditiva causada pela noso-acusia e sócio-acusia;
e) Adequar a empresa a todas as exigências legais;
f) Reduzir o absenteísmo, elevar a auto-estima e minimizar os efeitos extra-auditivos, fisiológicos e psicológicos relacionados com a exposição ao ruído.


O PCA (Programa de Conservação Auditiva) é um conjunto de medidas técnicas simplificadas ou administrativas, distribuídas e mantidas ao longo do tempo, que agindo de forma integrada e complementar entre si, pode servir de substituto temporário a modernização tecnológica e melhoria das condições de trabalho como um todo.

PRINCÍPIOS DO PCA:
a) Escolher, individualmente, o protetor auditivo mais adequado para cada indivíduo. Com pelo menos três opções diferentes, desde que respeitadas as taxas de redução de ruído – uso real = NRRsf;
b) Treinar e motivar o empregado para utilização do EPI;
c) Documentar estas atividades, bem como a entrega, utilização e reposição de cada EPI;
d) Acompanhar a evolução audiométrica do empregado, através de testes realizados com critério e analisados sob metodologia científica, que mostram a evolução da audição dos empregados, mensurando de forma epidemiológica, agravamentos auditivos e verificando a eficiência das medidas de proteção coletivas e individuais.


O fonoaudiólogo exerce um papel importante em decorrência do contato individual com o trabalhador, realizando avaliação auditiva (audiometria), informado a eficácia do programa, bem como dando esclarecimentos sobre os efeitos do ruído e as formas de prevenção, e principalmente o uso do EPI ou EPA.

O local adequado para se implantar este programa deve ser indicado, ou seja, direcionado por uma equipe como médico, fonoaudiólogo e profissionais da área de segurança do trabalho, quanto maior for o tempo, melhor será a extensão do PCA. Nesta indicação devem estar contidos os geradores de ruído, como máquinas e equipamentos.

Tópicos que constituem o programa de conservação auditiva (PCA) determinado pela OS 608/98:

• Monitoramento da exposição ao nível de pressão sonora elevada;
• Controles técnicos e Administrativos;
• Monitoramento audiométrico;
• Indicação de EPI;
• Educação e Motivação;
• Conservação de registros de compra e entrega de EPI;
• Avaliação da eficácia e eficiência do programa.

Portanto, os programas de conservação auditiva devem ser coordenados por profissionais da área médica, por fonoaudiólogos, engenheiros e técnicos de segurança do trabalho, sendo necessário o intercâmbio das informações adequadas ao sucesso do programa.



© todos direitos reservados - AG Medicina Ocupacional